Foto Ana Morais

Ana Mendonça Morais
– Marketing & Communication Strategist –

Os podcasts vieram para ficar. Pelo menos por enquanto.

Já sabemos que as tendências, especialmente as de marketing, têm tendência a mudar… passo a redundância! Mas a verdade é que os podcasts começaram a ter um grande crescimento a partir de 2005. E tiveram o seu grande boom cerca de uma década depois, por volta de 2015. Embora os EUA sejam o grande mercado dos podcasts – muito devido à densidade populacional e acesso a tecnologias -, também Portugal tem visto um grande crescimento deste tipo de conteúdo, especialmente desde 2018.

Ana Mendonça Morais
– Marketing & Communication Strategist –

Os podcasts vieram para ficar. Pelo menos por enquanto.

Já sabemos que as tendências, especialmente as de marketing, têm tendência a mudar… passo a redundância! Mas a verdade é que os podcasts começaram a ter um grande crescimento a partir de 2005. E tiveram o seu grande boom cerca de uma década depois, por volta de 2015. Embora os EUA sejam o grande mercado dos podcasts – muito devido à densidade populacional e acesso a tecnologias -, também Portugal tem visto um grande crescimento deste tipo de conteúdo, especialmente desde 2018.

O podcast enquanto estratégia de marketing

Um podcast é, essencialmente, conteúdo em formato áudio. Pode tomar várias abordagens, desde podcasts de opinião a entrevistas, e com durações distintas (de 20 a 90 minutos, geralmente, mas varia muito). Simplificando, é quase como um programa de rádio criado e distribuído de forma independente. E os temas são dos mais variadíssimos, de marketing a economia, nutrição ou comédia.

Podemos considerar que os podcasts são uma ferramenta do inbound marketing, uma forma de atracção para uma marca através da criação de conteúdo. Portanto, os podcasts são uma alternativa (ou complemento) a outro tipo de formatos de conteúdo, como blogs, vídeos ou ebooks, por exemplo.

Ao longo dos últimos anos, os podcasts têm-se tornado num ponto relevante da estratégia de marketing de várias marcas.

Por exemplo, a IKEA criou o seu próprio podcast, conduzido por Rui Maria Pêgo, com o mote de abordar temas como diversidade, igualdade e inclusão, na casa onde há sempre espaço para todos. Deste conteúdo, no entanto, criam não só os próprios episódios de podcast mas também vídeos. Conseguem, assim, criar vários conteúdos e rentabilizá-los ao máximo.

No entanto, nem todas as marcas precisam de criar um podcast! Afinal, não deixa de ser mais um tipo de conteúdo para criar e gerir, e convém fazê-lo de forma diferenciadora e não apenas porque sim. Se gosta do conceito mas sente que não é bem para si, pode por exemplo patrocinar um podcast de que gosta. Dessa forma aproveita um formato já criado por outra pessoa e dá a conhecer a sua marca. Mas claro que, nesta opção, tem de escolher bem o podcast a patrocinar, para que o mesmo encaixe bem com a sua marca e valores.

Aproveito ainda para partilhar uma lista dos 100 podcasts mais populares do momento em Portugal, de acordo com dados da Apple e do Podtail.

5 motivos para fazer um podcast

Ok, já ponderou as hipóteses de patrocinar ou criar um podcast para a sua marca. Mas ainda não sabe bem qual escolher. Precisa de alguns motivos para avançar com um podcast? Não se preocupe, dou-lhe 5 motivos para fazer um podcast!

1.   É económico e acessível ao mesmo

Para gravar um podcast precisa de um microfone para gravar o áudio e de tempo para editar as faixas de áudio. Tirando isso, não tem grande complexidade envolvida. Claro que depois tem de fazer o trabalho de divulgação, mas isso já teria com qualquer tipo de conteúdo.

2.   Pode ter diversas abordagens e tratar vários temas

Facilmente consegue alinhar o conteúdo com o tom de voz da sua marca, ou até arriscar e fazer algum um pouco mais fora da caixa. Há uma infinidade de temas a tratar! Já dei alguns exemplos acima mas deixo mais uns: sustentabilidade, saúde, desporto, viagens, animais, política, notícias, cultura…

3.   Consegue reaproveitar conteúdo

Faça render o que já tem ou crie com isso em mente! Por exemplo, tem um blog? Aproveite os temas já abordados em artigos e transforme-os em episódios de podcasts. Ou vice-versa: aborde um tema em áudio e adapte-o também para texto. Desta forma consegue rentabilizar ainda mais o seu tempo.

4.   Pode ser consumido em qualquer lugar e momento

Uma das vantagens dos podcasts é que ficam gravados para consulta em qualquer hora. Para além disso, os ouvintes só precisam de prestar atenção ao som, mais nada. Ou seja, podem estar a conduzir, a cozinhar ou em transportes públicos e conseguem consumir este tipo de conteúdo. Quer seja às 10h da manhã ou às 22h, de acordo com a sua disponibilidade.

5.   Ajuda a construir notoriedade e autoridade

Se definir muito bem o tipo de abordagem e temas no seu podcast, e se se dedicar realmente à criação de episódios úteis e interessantes, acredite que facilmente vai estabelecer a sua autoridade sobre determinado tema. Claro que é necessário segmentar bem o seu público-alvo (o que consegue fazer) e é um trabalho de continuidade, como o SEO do seu website. Mas nada como associar uma voz a uma causa! Para além disso, conseguirá uma maior notoriedade e visibilidade para a sua marca, por ter mais um formato de conteúdo que chega a mais pessoas.

Se estes motivos o convenceram, parabéns. Está a um passo de se juntar a mais uma tendência de marketing! Mas não se esqueça, para tirar o maior partido possível destas vantagens, tem de se dedicar. Um podcast exige tempo e deve ser feito de forma estratégica e planeada, para beneficiar e não prejudicar a sua marca!