Marta Peral Ribeiro

Marta Peral Ribeiro
– Consultora de Comunicação –

Um guia sobre a nova funcionalidade de vídeos curtos gerados pelos utilizadores

Em setembro do ano passado a Google lançou uma nova funcionalidade no YouTube, chamada Shorts. Já conhecida pelas semelhanças com o TikTok ou o Reels, o YouTube Shorts ainda não está disponível para o nosso país, mas vale a pena preparar-se para quando chegar.

Marta Peral Ribeiro
– Consultora de Comunicação –

Um guia sobre a nova funcionalidade de vídeos curtos gerados pelos utilizadores

Em setembro do ano passado a Google lançou uma nova funcionalidade no Youtube, chamada Shorts. Já conhecida pelas semelhanças com o TikTok ou o Reels, o YouTube Shorts ainda não está disponível para o nosso país, mas vale a pena preparar-se para quando chegar.

O que são os Shorts?

Shorts, como o próprio nome sugere, são conteúdos curtos – que, no caso do Youtube, facilmente deduzimos que são vídeos – e podem ser produzidos, editados e publicados por qualquer pessoa a partir do smartphone. Aliás, esta funcionalidade foi concebida, justamente, para dispositivos móveis.

telemovel

Características:

  • Duração: até 60 segundos (mas idealmente até 15)
  • Orientação da imagem: vertical
  • Tipo de imagem: vídeo
  • Som: com ou sem
  • Localização: numa secção específica da página inicial

Note-se que Shorts não são Histórias (stories), que também surgem na página principal da App para mobile. icone do youtube shorts
Os Shorts aparecem com este ícone:

Quem pode criar Shorts?

Qualquer utilizador, independentemente de ser ou não um verdadeiro criador de conteúdos ou artista. Basta criar um canal de Youtube para produzir estes vídeos curtos.

Porém, a maioria de nós ainda tem de esperar para publicar shorts, porque esta funcionalidade ainda não chegou a Portugal. Para já, apenas está disponível na Índia e, recentemente, nos Estados Unidos. E, para ambos, na versão beta.

Visualizar Shorts

Apesar de não podermos criar Shorts, alguns utilizadores já estão a ver esta secção, que aparece em linha horizontal na página inicial, numa espécie de prateleira de vídeos corridos:

Screenshot Shorts

Depois de visualizar o primeiro vídeo é possível deslizar verticalmente para descobrir outros. Os conteúdos apresentados serão baseados, como é de esperar, nos interesses do utilizador.

No entanto, também é possível indicar quando determinado tipo de conteúdo não lhe interessa. Para tal basta pressionar os 3 pontos verticais no canto superior direito desse vídeo:

Screenshot Shorts

Como se cria um vídeo no Shorts?

O funcionamento dos Shorts é bastante simples e muito similar ao TikTok e Reels.

Ao clicar no ícone “+” ou da câmera (iOS) e selecionar «vídeo», aparece “Criar um Short” e a câmera liga-se imediatamente:

Botão youtube-shorts-videos

Para que o criador possa filmar em mãos livres, a funcionalidade dispõe de um temporizador, com contagem regressiva de 15 segundos.

Dispõe também de um controlo de velocidade para aumentar as possibilidades criativas.

E, claro, sendo o Youtube uma autêntica biblioteca de músicas, o criador de vídeos pode adicionar músicas nos Shorts, de forma gratuita.

É possível criar um Short enquanto a funcionalidade não está disponível?

Diretamente não, mas manualmente sim. Ou seja, é possível criar um vídeo com as mesmas características (máximo 60 segundos, formato vertical), filmado a partir de um smartphone, tablet ou PC, e publicá-lo.

Ainda que não seja obrigatório, é recomendável que se acrescente a hashtag #shorts no título ou na descrição do vídeo, para potenciar a sua exibição na secção de Shorts.

É o próprio Youtube que incentiva os utilizadores a usar esta alternativa, enquanto a ferramenta não estiver operacional no nosso país.

Como é previsível, esta opção «manual» não permite aceder às mesmas ferramentas de edição descritas anteriormente para um short propriamente dito.

Como saber se o vídeo foi classificado como Short?

1. É necessário aceder ao canal de Youtube Studio e ir ao Painel de configurações:

Página youtube shorts

2. No sub-menu “Personalização”, adiciona-se a secção de vídeos curtos ao canal:

Página youtube shorts

Se o vídeo tiver visibilidade suficiente, poderá ser exibido na secção de Shorts da página inicial – e este é o objetivo quando se pretende ser «visto», naturalmente.

3. Quando o visitante desliza um vídeo para cima (swipe up) na página principal, acontece uma de duas ações que permitem verificar se o vídeo foi categorizado como Short:

  • Se tiver acesso à caixa de comentários abaixo e aparecer sugestão de vídeos, trata-se de um vídeo «normal».
  • Se não aparecer a caixa de comentários e surgir automaticamente outro short, então está a ser visualizado como Short.

Shorts Analytics

É possível analisar o desempenho dos vídeos curtos acedendo aos relatórios e métricas disponibilizados na mesma página (Youtube Studio).

No menu à esquerda, ao aceder às “Estatísticas”, aparece um gráfico. De seguida, carregando no botão “Ver mais” que surge por baixo do gráfico é possível monitorizar o tráfego e filtrar pela fonte de visualizações – neste caso, a fonte será “Shorts”.

Youtube shorts analytics

Apesar de a análise dos dados permitir verificar a eficácia desta funcionalidade, ainda é incompleta.

Para já, é possível verificar o número de visualizações, o tempo total de visualizações e a duração média de visualização por publicação. Mas ainda não podemos analisar as impressões nem as CTRs, métricas relevantes para aferir o desempenho de uma publicação.

Lembremo-nos que o Youtube Shorts continua na sua versão beta, pelo que surgem atualizações constantemente.

Que oportunidades oferecem os Shorts às marcas?

Poucos meses depois do seu lançamento na Índia, houve um aumento exponencial de utilizadores a usar esta nova funcionalidade.

Segundo Neal Mohan, Chief Product Officer do Youtube, os vídeos dos Shorts atingem cerca de 3,5 biliões de visualizações por dia em todo o mundo.

De facto, podemos verificar a quantidade de vídeos e de canais que já usam #shorts, pesquisando por esse termo na barra de pesquisas do Youtube:

Resultados para shorts

Em breve estes números serão exponencialmente maiores, atendendo a que a funcionalidade ficou recentemente disponível na América.

Dada a visibilidade que proporciona – 100 biliões de visualizações por mês, e ainda só na versão beta – esta ferramenta representa uma boa oportunidade para as empresas conquistarem uma nova audiência e potenciarem a sua taxa de conversão.  Porque ao acederem aos Shorts, os visitantes podem descobrir a marca e aprofundar o seu conhecimento através do seu canal.

Se o Youtube for um dos canais de comunicação da marca, ou pelo menos for uma possibilidade, vale a pena as equipas de marketing e comunicação anteciparem o momento em que a funcionalidade for integrada em terreno nacional. Porque a competitividade, nessa altura, será bem maior.

Talvez já estejam a criar vídeos curtos para outras redes, como o Instagram. Se não, é pertinente começar a produzir estes vídeos curtos, cujo objetivo é captar a atenção das pessoas em breves segundos. Isto é, em pouco tempo pode obter mais visualizações e seguidores do que ao longo de meses.

Estamos indubitavelmente perante uma nova geração de vídeos, pelo que levar o marketing de conteúdo ao próximo nível através dos vídeos curtos e dinâmicos é, sem sombra de dúvida, uma mais-valia para as marcas. E ter tempo de incorporar esta funcionalidade é ganhar vantagem sobre a concorrência.